Samsung vai ter 100% de eletrodomésticos inteligentes em 2023

samsung

Samsung anunciou um grande passo para o seu sistema de dispositivos conectados: a partir de 2023, todos os eletrodomésticos lançados pela companhia serão inteligentes. Com isso, tecnologias como Wi-Fi, Bluetooth e integração com SmartThings chegarão em todas as linhas de geladeiras, fornos, máquina de lavar e outros produtos.

O plano da companhia, anunciado na IFA 2022, é levar as funções inteligentes para toda a linha branca até o fim do ano que vem. Ainda assim, por questões de estoque e produção, a tendência é que os consumidores ainda encontrem produtos “burros” nas lojas durante os próximos anos.

A “casa do futuro” da Samsung permitirá mais possibilidades de uso e uma integração maior entre produtos. Na hora de jogar videogame, por exemplo, os eletrodomésticos farão menos barulho, para garantir menos imersão. Já ao fazer exercícios em casa, o ar condicionado e o purificador de ar serão automaticamente ajustados para oferecer melhor temperatura, como exibem demonstrações da Samsung.

Além de garantir mais conectividade para a casa, a empresa também busca investir em sustentabilidade com a mudança. A companhia está trabalhando em uma inteligência artificial para o sistema SmartThings que vai otimizar o uso de energia dos eletrodomésticos para diferentes situações, o que deve render economia na conta de luz.

Segundo as estimativas da Samsung, a integração entre eletrodomésticos e a adoção de soluções inteligentes para eficiência pode render economias de até 30% na fatura de consumo de energia.

Controles sem pilha para TVs

Outra iniciativa que será expandida pela empresa é a aposentadoria das pilhas nos controles remotos. Após o sucesso de um controle com painel solar enviado em algumas linhas premium de televisões, a companhia vai adotar o novo acessório em todas as futuras séries de Smart TVs da marca.

De acordo com a Samsung, a mudança evitará o uso de 200 milhões de pilhas em sete anos. No fim de 2021, a empresa disse que a adoção limitada da tecnologia já havia evitado o descarte de 1 milhão de baterias.